Predisposição técnica de um lutador

Paulo Nascimento e Paulo Lima

A graduação em educação física serviu para que eu mergulhasse na ciencia por trás do exercício físico, mas o exercício profissional, o dia-a-dia no tatame me da o conhecimento experimentado que completa toda teoria que eu encontro nos livros. Recentemente o que tenho observado é que cada lutador tem uma predisposição natural para desenvolver uma habilidade específica, o que em japonês chamam de tokui-waza (técnica preferida).

O que faço para descobrir qual a provavel habilidade que o lutador tende a desenvolver com mais facilidade é primeiramente observar o tipo físico dele. Analiso o tamanho do lutador, a largura dos ombros, o comprimento dos braços e das pernas, a largura e o comprimento dos pés, a espessura dos ossos e a composição corporal dele ( relação massa muscular x percentual de gordura).

Em seguida eu faço alguns testes simulando combates, peço que o lutador faça um pouco de pratica livre e que ele repita alguns golpes para que eu analise a mobilidade corporal dele e seu grau de inteligencia de combate. Depois disso eu mostro alguns golpes que mais se adequem a minha analise do perfil dele e escuto seu feedback. Acho isso muito importante, porque tem lutador que faz um golpe de um jeito, tem outros que fazem de outra forma, mesmo sendo o mesmo golpe, mas pelo fato de serem duas pessoas diferentes, existem ajustes na execução do golpe que carregam as características peculiares de cada executor.

Trata-se de um trabalho de um artesão, um processo de lapidação da arte mesmo. É complexo e exige tempo, porque a técnica precisa se experimentada e percebida pelo praticante, para que ele possa fazer os ajustes que eu vou indicando ao longo do processo. Muitas vezes acontece dele receber a informação com clareza mas não conseguir executar por falta de dominio sobre o proprio corpo. A complexidade do processo esta justamente ai, em sujeitar o lutador a repetição pra que ele consiga perceber os pequenos detalhes do movimento e faça os ajustes dominando seu próprio corpo.

A partir dai o lutador consegue encontrar a direção da execução do golpe e passa a experimenta-lo com cada vez mais segurança, desenvolvendo a sensação do tipo “esse é o meu golpe, a minha arma fatal”. E por ai ele se desenvolve, fazendo cada coisa fantastica dentro do tatame, que as vezes até eu me surpreendo e fico pensando, como foi que eu ensinei isso a esse cara…rs…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s